segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

FOTOS DOS CARTAZES DA ASSEMBLÉIA



















































quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

1º CARTAZ AFIXADO NAS DEPENDÊNCIAS DA ESCOLA


VOCÊ SABE...

O que é o PDE-Escola?

Qual a importância do PDE-Escola?

O que representa o PDE-Escola para a escola?

Quais as dimensões do PDE-Escola?

COMPAREÇA E FIQUE POR DENTRO!

2º CARTAZ AFIXADO NAS DEPENDÊNCIAS DA ESCOLA


ATENÇÃO


VOCÊ:
professor, funcionário, pai ou aluno


PARTICIPE
DA CONSTRUÇÃO DO PDE


DIA: 18/12/08 às 19h

CHAMADA PARA O PDE-ESCOLA

ENDEREÇO DO ARQUIVO DE ÁUDIO:
http://www.podcast1.com.br/blog.php?codigo_canal=3868

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

VÍDEO

video

FONTE:
http://br.youtube.com/watch?v=AiGV_Jdl6Gs&feature=PlayList&p=BCDCFA32D15CAAE5&playnext=1&index=1

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Recomendações aos educadores

O educador é o principal trabalhador brasileiro, pois é ele quem está com o aluno diariamente e tem nas mãos as ferramentas para ensiná-lo. Veja como você, educador, pode fazer a sua parte.
Entenda a situação da Educação
O primeiro passo para melhorar a Educação é entender sua situação atual. Procure se informar sobre a qualidade do ensino no País, no seu estado, na sua cidade, nas escolas próximas. Na seção Números da Educação você encontra essas informações. Secretarias de Educação municipais e estaduais também têm esses dados, e é direito de todos conhecê-los. Além disso, todos podem procurar saber quais são as ações e medidas tomadas pela Secretaria de Educação para melhorar o desempenho das escolas que não tiveram bons resultados tanto no Ideb, como em avaliações educacionais como a Prova Brasil e o Saeb. Procure entender quais são os problemas da Educação brasileira, suas causas e conseqüências. Informe-se, reflita, discuta. Quando você entende o problema, tem mais chances de fazer sua parte para resolvê-lo – e você, como educador, é o principal agente da melhoria da Educação.
Busque sempre aprimorar seus conhecimentos
Procure sempre dar seqüência à sua formação acadêmica, por meio de cursos de graduação ou pós-graduação e de programas de capacitação. Há sempre algo novo e interessante para ser aprendido, e que poderá te ajudar a influir positivamente na Educação das pessoas ao seu redor. Proponha que sua escola seja um espaço de aprendizado. Para ser educador, é preciso estudar sempre e ter em vista onde você quer chegar com seus alunos.
Encare a diversidade de maneira positiva
Tire proveito da heterogeneidade de saberes, conhecimentos e experiências dos alunos e da comunidade escolar. Promova a interação entre eles.
Escola boa é aquela em que o aluno aprende
A melhor forma de avaliar a qualidade do ensino é por meio da aprendizagem dos alunos. E, se a escola existe para ensinar, a avaliação capaz de dizer se a escola é boa ou ruim é aquela que nos mostra se os alunos estão ou não aprendendo. Valorize e utilize avaliações sobre a qualidade do ensino como um instrumento para melhorar a escola, e promover a transparência e a participação de todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem.
Diretor: Assuma a liderança
Assuma a liderança de forma democrática e cooperativa com todos os segmentos da equipe. A presença constante do diretor da escola é fundamental. Ele deve ter competência para ocupar um papel central na gestão do cotidiano escolar e na articulação da escola com a comunidade escolar. Como lida com questões internas e externas da escola, é necessário ter sempre em mente o que é e o que não é prioritário, para organizar seu tempo de forma eficiente.
Diretor: Seja responsável pela qualidade de ensino
A melhor gestão administrativa de nada vale se os alunos não estiverem aprendendo. O diretor não deve ser visto apenas como o administrador do prédio da escola, mas como o grande administrador da aprendizagem dos alunos. O diretor é o responsável maior para a escola ter e cumprir o regimento escolar e a proposta pedagógica – que dará origem aos planos de curso e de aula. Além de ser peça-chave na identificação das necessidades locais, o diretor deve garantir um sistema eficaz de reforço escolar para os alunos com dificuldades em algum conteúdo específico, e deve fazer funcionar um sistema de supervisão de professores com foco no desempenho dos alunos.
Diretor: Articule-se com a Secretaria de Educação
Como a escola não trabalha de forma isolada, o diretor deve conduzir as ações da escola de forma articulada com as políticas emanadas pela Secretaria de Educação - que deve receber, mensalmente, os dados da escola. As metas da escola também devem ser estabelecidas, anualmente, de forma integrada às metas da rede de ensino. As escolas devem ter algum grau de autonomia, mas são parte de um organismo muito maior, que é a rede de ensino, gerida pela Secretaria de Educação.
Diretor: Assegure o cumprimento do ano letivo
Assegure o cumprimento integral do ano letivo. As escolas precisam garantir um mínimo de duzentos dias letivos, com um mínimo de quatro horas de aula por dia, descontados os intervalos escolares. Isso é lei. Assegurar a pontualidade e freqüência dos professores e funcionários da escola também é necessário.
Diretor: Assegure condições de trabalho
Assegure as condições e os meios para que os professores implementem a proposta político-pedagógica da escola.
Diretor: Abra a biblioteca e a sala de computação
Não tranque livros e computadores, pois eles são material de uso diário. Os alunos precisam tê-los em mãos para poder tirar o melhor proveito possível do que esses materiais podem trazer para seu aprendizado. Cuide e melhore o acervo da biblioteca, disponibilizando, além dos livros didáticos, obras de literatura infanto-juvenil, livros de ficção e não ficção, dicionários e enciclopédias. Você pode, ainda, abrir a biblioteca fora do horário das aulas e para a comunidade. Quanto aos computadores, sua escola pode incentivar os alunos a usarem a internet para fazer pesquisas sobre temas atuais e, a partir delas, elaborar resumos. Os alunos podem também ser envolvidos na elaboração e manutenção da página da escola na internet, ou ser incentivados a construírem seus blogs – diários na internet.
Professor: Planeje suas aulas
Elabore planos de curso e planos de aula de acordo com a proposta pedagógica elaborada pela escola e com o programa de ensino da Secretaria de Educação. Participe da elaboração dessas propostas e assegure seu cumprimento, sem perder de vista que para ter sucesso na sala de aula, os objetivos, os conteúdos e os métodos de ensino devem ser adequados e ajustados às suas necessidades e às características dos alunos. Aulas de qualidade se refletem na aprendizagem dos alunos.
Professor: Procure não faltar
Lembre-se de que o aluno precisa de você. Se alguma necessidade urgente lhe impedir de estar em sala de aula, é necessário que você seja substituído por pessoa de igual competência e que conheça o andamento dos planos de aula.
Professor: Ensine a estudar
Ensine os procedimentos de estudo, como selecionar informações, tomar notas, fazer resumos e sínteses, etc.
Professor: Incentive o hábito da leitura
Dê atenção especial à leitura, à compreensão de textos e à escrita. Essas habilidades são básicas e essenciais para toda a vida do aluno. O hábito da leitura abre aos alunos uma perspectiva prazerosa de aprendizagem. Estimule esse hábito oferecendo aos alunos contato com diferentes tipos de textos, tais como matérias de jornais, embalagens, receitas, cartas, anúncios, textos expositivos e literários, instruções de jogos, regras da escola, etc. Conheça de antemão os textos que você apresentará à classe, gere expectativas nos alunos sobre os textos, faça comentários, perguntas e promova a reflexão, interpretação e o diálogo entre os estudantes.
Professor: Reforce a auto-estima dos alunos
É preciso que educadores difundam ao máximo os gestos, as atitudes, as palavras que reforçam a auto-estima das crianças e favoreçam o seu sucesso na sala de aula e na vida. Esse tipo de atitude pode ser decisivo na vida de uma criança ou um jovem. Valorize o esforço e os trabalhos elaborados pelos alunos. Comente-os e exponha-os em murais e varais fora e dentro da sala de aula. Prontifique-se a ajudar sempre que chamado.
Professor: Não desista de ensinar a nenhum aluno
Todos precisam, têm direito e capacidade de aprender. Nem todos os alunos aprendem do mesmo jeito e no mesmo ritmo, embora todos sejam capazes de aprender. O desempenho escolar de um aluno é responsabilidade do professor, que deve ser compartilhada pela família e pela escola.
Diretor: Mantenha uma boa relação com as famílias
Divulgue a proposta pedagógica de cada série para os pais dos alunos poderem acompanhar o seu cumprimento ao longo do ano letivo. Divulgue também o regimento da escola para pais e alunos. Distribua os boletins com resultados dos alunos nas épocas previstas pelo Regimento Interno das Escolas, e informe-os sobre como está o desempenho de seus filhos na escola. Dê, ainda, dicas sobre como eles podem ajudar suas crianças a estudar e acompanhar as aulas.
Promova a gestão democrática
A gestão democrática implica que os educadores, familiares e a comunidade, mais do que destinatários, devem ser considerados interlocutores e parceiros da escola no cumprimento de sua missão: fazer com que todas as crianças da escola efetivamente aprendam. Reconheça a escola como um espaço de construção do conhecimento e de integração com a comunidade, abrindo seus espaços para outras atividades e públicos – desde que isso não comprometa os direitos dos seus alunos. Mantenha esse espírito ao se relacionar com os pais e alunos. Quanto mais a escola estiver inserida em seu contexto social e mantiver uma boa relação de parcerias, maior será a colaboração de todos. Abra a escola para a família dos alunos e conheça a história e as características de cada um. Mantenha um relacionamento transparente e receptivo com os pais e familiares. Eles são parceiros fundamentais da escola.
Fiscalize o bolsa-família
Verifique se os alunos beneficiários do Bolsa-Família matriculados em sua escola estão freqüentando as aulas. Demande que os governos municipal e estadual mantenham atualizadas as situações cadastrais (qual escola freqüenta, se concluiu os ciclos de estudos etc) de cada criança em idade escolar. Além disso, verifique e cobre que os beneficiários do programa levem suas crianças aos postos de saúde para realizar exames, vacinações e outras ações estipuladas pelo Ministério da Saúde, que impactam diretamente na saúde da criança e em seu desempenho escolar.
Fiscalize a merenda escolar
Acompanhe, verifique e cobre que os recursos públicos destinados à merenda escolar sejam garantidos e bem geridos. Para tanto, você pode verificar em sua escola se os alimentos comprados pela prefeitura têm qualidade, quantidade e diversidade apropriadas. Acompanhe também se a escola os armazena de forma correta e os distribui enquanto estão frescos, antes da data de expiração e em quantidades apropriadas.

Recomendações aos gestores públicos

Você tem um papel fundamental na implementação e na continuidade de políticas públicas que garantam Educação de qualidade para todas as crianças e jovens do Brasil. Veja como você pode contribuir ainda mais.
Entenda a situação da Educação
O primeiro passo para melhorar a Educação é entender sua situação atual pois, quando você entende um problema, tem mais chances de ajudar a resolvê-lo. Procure se informar e conscientizar a todos sobre a qualidade do ensino no País, no seu estado, no município, nas escolas. Você pode tomar o primeiro passo conhecendo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb - http://www.ideb.inep.gov.br/Site/) e os resultados de avaliações educacionais como a Prova Brasil e o Saeb. Você, gestor público da Educação, tem o importante papel – e dever - de divulgar os dados educacionais de sua esfera de atuação, bem como as ações e medidas tomadas para melhorar o desempenho das escolas que não tiveram bons resultados tanto no Ideb, como em avaliações educacionais.
Incentive a Educação dos funcionários
Quanto maior o conhecimento de pais e comunidade, maior o nível de exigência em relação a seus filhos e crianças. Crie, no órgão público, uma cultura de acompanhamento da Educação de seus colaboradores. Verifique se há colaboradores que não concluíram a Educação básica e incentive, por meio de projetos próprios ou de terceiros (escolas, outros órgãos públicos ou organizações sociais), sua alfabetização, a conclusão do ensino básico ou de cursos técnicos e sua formação constante. Se necessário, flexibilize horários, disponibilize espaços e recursos.
Incentive a Educação dos filhos dos funcionários
O setor de recursos humanos de sua instituição pode verificar periodicamente se os filhos de seus funcionários estão na escola. Para incentivar que eles permaneçam na escola e concluam os ciclos, você pode oferecer incentivos como bolsas de estudos, flexibilização do horário de trabalho dos pais e disponibilização de seus espaços e recursos para atividades relacionadas à escola.
Cumpra a legislação vigente
Garanta que a legislação relativa à Educação seja devidamente cumprida. Alguns exemplos são a Constituição Federal (artigos 205 a 214), a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o Plano Nacional de Educação, a Legislação do Ensino Fundamental e a Legislação do Ensino Médio, entre outros.
Dê continuidade às políticas que estão dando certo
Promova continuidade, sinergia e cooperação entre as esferas federal, estadual e municipal, minimizando a fragmentação e descontinuidade de políticas públicas que geram resultados positivos. A Educação, por depender de processos de longo prazo, pode ser muito prejudicada pela interrupção constante de políticas e projetos.
Utilize os resultados das avaliações
Os resultados desse tipo de avaliação possibilitam a identificação das escolas em que se concentram o maior número de problemas de aprendizagem, permitindo que se dê a elas mais atenção, cuidado e prioridade. Utilize esses resultados para aprimorar suas políticas e programas. Sem avaliação externa, fica muito difícil saber se, por exemplo, medidas como capacitação de professores, melhoria das condições de ensino, gestão democrática, implantação de planos salariais atrelados ao desempenho, à autonomia da escola e a outras medidas estão, ou não, tendo impacto positivo sobre a qualidade do ensino. Isso quer dizer que, sem um instrumento objetivo de mensuração dos resultados, não é possível saber se o ensino está melhorando de verdade ou não. A transparência e divulgação dos resultados das avaliações externas permitem à própria escola, às famílias, às organizações comunitárias e, principalmente, ao poder público local se posicionar diante da situação e adotar ações convergentes e complementares, com o objetivo de superar as dificuldades encontradas.
Dê diretrizes claras
O que se espera alcançar, na rede como um todo, deve estar contido em um plano de Educação, com metas claras e definidas a partir de dados confiáveis e do que já está estabelecido no Plano Decenal. A gestão cotidiana desse plano de metas deve ser amparada por um sistema de informação que colete dados das escolas em tempo real, e que permita ao responsável maior pela Educação do município tomar decisões ao longo do ano, sempre tendo como meta o bom desempenho dos alunos. Para que as escolas de uma rede possam funcionar de uma forma ao mesmo tempo autônoma e articulada, a Secretaria de Educação precisa emanar as diretrizes políticas. Deve ser capaz de gerenciar o sistema como um todo, conhecendo a realidade do município ou estado, realizando diagnóstico educacional (inclusive da alfabetização infantil), explicitando as diretrizes que serão seguidas pelas escolas, estipulando as metas de desempenho dos alunos, definindo responsabilidades, articulando recursos, promovendo supervisão das escolas com foco em resultados e garantindo um sistema de avaliação voltado à eqüidade do ensino oferecido por suas escolas. Ao mesmo tempo, assegure a autonomia da escola, definindo os limites e assegurando a autonomia administrativa, financeira e pedagógica das mesmas, como previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação.
Responsabilize-se pelo Plano Decenal de Educação
Ao secretário de Educação está reservado o papel de principal estimulador do processo de construção, implementação e avaliação do Plano Municipal ou Estadual de Educação, em que são estabelecidas as prioridades no campo educacional. O plano não pode estar desconectado dos objetivos da população e dos administradores públicos, embora deva transcender a perspectiva de um governo, pois sua vigência é de dez anos. Não se trata apenas para cumprir a legislação. O Plano Decenal de Educação é um poderoso instrumento de planejamento educacional. Quanto mais houver envolvimento dos atores e da população para definir os objetivos do Plano, mais as mediações e relações têm de ser explicitadas e concretizadas.
Supervisione e dê apoio
Articular um mecanismo eficiente de supervisão das escolas, com foco em resultado, também é papel da Secretaria de Educação. Quando a rede traça metas de desempenho e de rendimento a serem cumpridas, está na verdade traçando metas para as escolas. A indicação das metas deve vir acompanhada de estratégias que apóiem a escola nessa tarefa.
Promova a ampliação do turno escolar
A ampliação do turno permite que os alunos dediquem mais tempo aos estudos e outras atividades escolares, e os mantém em um ambiente de influência positiva. Essa é uma das medidas que mais ajudam a melhorar a qualidade do aprendizado dos alunos.
Promova a capacitação dos educadores
Promova a capacitação em serviço dos professores e diretores das redes públicas de ensino. Quanto mais próxima a capacitação for do dia-a-dia da sala de aula, e quanto mais ela for atrelada a objetivos claros, melhor. Também é importante desenvolver, manter e oferecer programas estruturados e permanentes de formação de professores alfabetizadores. Tais programas devem capacitar o professor para compreender como é a prática cotidiana em sala de aula, promover a troca de experiências e apresentar soluções para os problemas encontrados.
Coloque o foco na alfabetização
Uma pessoa que domina a leitura e a escrita tem muito mais chances de aprender mais e pela vida inteira. Por isso, invista na capacitação dos professores alfabetizadores, adquira e doe mais livros para as bibliotecas da rede e realize parcerias com instituições que trabalham com a leitura e a escrita, visando sempre a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem.
Faça adesão ao Programa de Metas do MEC
As prefeituras de todo o País podem fazer adesão ao Programa de Metas Compromisso Todos Pela Educação, criado pelo Ministério da Educação (MEC). Para entender o programa e saber como aderir, acesse o site do MEC.
Formalize seu compromisso com as 5 Metas
Ao aderir ao Todos Pela Educação, você manifesta publicamente a sua intenção de contribuir para o alcance das 5 Metas, que dizem respeito ao acesso, alfabetização, qualidade, conclusão e investimento em Educação.
Favoreça a cooperação
Desenvolva, promova e execute projetos de cooperação tanto com a comunidade local (organizações sociais, empresas, etc.), quanto com a nacional e internacional, com vistas ao intercâmbio de conhecimento, difusão de boas práticas e levantamento de recursos, entre outros. A cooperação entre redes também é necessária. Como no mesmo município estão presentes escolas das redes municipal e estadual, é preciso que essas redes conversem entre si, articulem ações para que se garanta uma eqüidade no atendimento de todos os municípios. A articulação de ações, como o planejamento do calendário escolar – e seu cumprimento - e a matrícula, é fundamental para que as famílias que tenham filhos matriculados nas duas redes poderem se organizar, evitando que o aluno seja prejudicado.
Promova a colaboração entre poderes
Os poderes legislativo, executivo e judiciário devem trabalhar com sinergia, criando, aperfeiçoando, executando e fazendo cumprir leis que garantam o direito à Educação. Questões de saúde, habitação, transporte e renda, entre outras, afetam profundamente o desempenho da Educação. Portanto, é importante que as três esferas de poder público desenvolvam e apóiem políticas públicas intersetoriais. Todos só têm a ganhar com essa colaboração e com a efetivação do direito à Educação de qualidade.
Fiscalize o funcionamento do bolsa-família
Acompanhe e exija que os alunos beneficiários do Bolsa-Família estejam matriculados e freqüentando a escola. Mantenha atualizadas as situações cadastrais (qual escola freqüenta, se concluiu os diversos ciclos de estudos, etc) de cada criança em idade escolar. Além disso, verifique e cobre que os beneficiários do programa levem suas crianças aos Postos de Saúde para realizar checagens, vacinações e outras ações estipuladas pelo Ministério da Saúde, que impactam diretamente na saúde da criança e em seu desempenho escolar.
Fiscalize a merenda escolar
Acompanhe e certifique-se de que os recursos públicos destinados à merenda escolar sejam garantidos e bem geridos. Exija, acompanhe e cobre que os alimentos comprados pela Prefeitura tenham qualidade, quantidade e diversidade apropriadas. Acompanhe, ainda, se a escola os armazena de forma correta e os distribui enquanto estão frescos, antes da data de expiração e em quantidades apropriadas.
Garanta o uso eficiente dos recursos à Educação
O uso eficiente e ético dos recursos permite que desperdícios sejam evitados resultados sejam potencializados.

Fonte: http://www.todospelaeducacao.org.br/FacaSuaParte.aspx?action=2&pID=5

Recomendações aos pais.

Participar da Educação do seu filho, estar atento à qualidade do ensino, são boas maneiras de melhorar a Educação brasileira. Veja como você pode ajudar.
Entenda a situação da Educação
O primeiro passo para melhorar a Educação é entender sua situação atual. Procure se informar sobre a qualidade do ensino no País, no seu estado, na sua cidade, nas escolas próximas, na escola do seu filho. Na seção Números da Educação você encontra essas informações. Secretarias de Educação municipais e estaduais também têm esses dados, e é direito de todos conhecê-los. Além disso, todos podem procurar saber quais são as ações e medidas tomadas pela Secretaria de Educação para melhorar o desempenho das escolas que não tiveram bons resultados tanto no Ideb, como em avaliações educacionais como a Prova Brasil e o Saeb. Busque entender quais são os problemas da Educação brasileira, suas causas e conseqüências. Informe-se, reflita, discuta. Quando você entende o problema, tem mais chances de fazer sua parte para resolvê-lo.
Dê o exemplo
A Educação começa assim que a criança nasce. Os exemplos que ela recebe em casa, na rua, na comunidade ajudam a criar o interesse pelo saber e fazem com que ela valorize o aprendizado. Seja coerente, suas atitudes refletem as suas convicções. Como estudar é importante, comece você mesmo: estude. Seja curioso, pergunte, questione, procure entender, informe-se. Este é o melhor exemplo que você pode dar para o seu filho.
Conheça e cumpra a lei
A Educação não é apenas um direito garantido por lei a todas as crianças e jovens brasileiros; é, também, um dever. No início do ano letivo, ao realizar seu dever de efetivar a matrícula da criança, os pais devem também procurar ter conhecimento do calendário escolar. As escolas precisam garantir pelo menos 200 dias letivos, com um mínimo de quatro horas de aula por dia, descontados os recessos e férias escolares. Isso é lei.
Mantenha abertos canais de diálogo com seu filho
Ao conversar com seu filho, você poderá compreender melhor suas experiências escolares, verificar o que vem sendo aprendido, conhecer melhor o funcionamento e a qualidade do ensino oferecido pela escola e ressaltar a importância de uma boa formação para sua futura realização profissional e pessoal. É importante que seu filho perceba seu interesse, envolvimento e comprometimento com a Educação dele. Não restrinja o diálogo a problemas com as notas, estimule-o sempre a querer aprender mais, procure saber como está seu convívio social e, principalmente, mostre interesse pelo que ele está aprendendo. Perceba se ele está sendo bem aceito pela instituição. Pergunte diariamente o que ele pode lhe ensinar de novo.
Cobre do seu filho comprometimento com a escola
Verifique se ele está cumprindo suas obrigações escolares, tais como o dever de casa, a freqüência às aulas e a disciplina em sala de aula. Incentive e reconheça o respeito aos professores e aos colegas, e o seu bom desempenho em atividades escolares e extracurriculares.
Evite faltas desnecessárias
Uma vez que tenham matriculado seus filhos, é importante que os pais se organizem para que os alunos possam estar presentes diariamente nas aulas. A freqüência do aluno à escola é importante porque é a condição básica para ele aprender. Se houver necessidade de mudança de escola durante o calendário escolar, a transferência deve ser realizada de forma planejada, com a solicitação dos documentos e do histórico escolar no tempo certo, a garantia de matrícula na escola de destino e as demais providências necessárias para não prejudicar os estudos da criança.
Acompanhe o dever de casa
Uma forma eficiente de você saber em que seu filho tem dificuldade e quais são suas maiores habilidades é acompanhar diariamente a realização dos deveres de casa. Se os pais não têm condições, por falta de tempo ou mesmo de conhecimento, de ajudar a criança a fazer suas tarefas escolares, o melhor é pedir ajuda fora da família. Uma vizinha que estuda com o filho ou uma entidade que trabalha com reforço escolar podem ser uma ajuda preciosa. Além disso, é preciso respeitar o período de estudos do seu filho. Estabeleça uma rotina, com tempo e espaço adequados para as tarefas. Acompanhe a aprendizagem, olhe os cadernos e, se for o caso, elogie o capricho. Verifique se sua casa tem livros e outros materiais de estudo e, se não tiver, ajude seu filho a procurar bibliotecas. Mostre-se disponível e ofereça ajuda sempre que necessário, ainda que seja para ouvir seu filho ler algo interessante que achou nos livros.
Incentive o hábito da leitura
O gosto pelos livros e pela leitura pode ser estimulado pelos pais desde o nascimento dos filhos. Ler ou contar historinhas para as crianças, levá-las a uma biblioteca pública ou presenteá-las com livros ou revistas de que elas gostem e que sejam adequados para sua faixa etária podem ser boas formas de incentivar o hábito da leitura. Leia para elas, e com elas, ou peça para que elas leiam e interpretem para você alguma notícia ou texto interessante.
Fique atento ao desempenho escolar de seu filho
Não basta mandar as crianças para a escola. Elas têm de aprender de fato o que está sendo ensinado. Acompanhe o boletim escolar do seu filho e, se for verificado um desempenho fraco, a primeira coisa a ser feita é procurar o professor ou a professora para saber o que está acontecendo, ouvir suas recomendações e combinar um esforço comum da escola, da família e do próprio aluno. Se for o caso, você pode também procurar a ajuda de alguma entidade que trabalhe com crianças em atividades complementares à escola. A criança com dificuldade tem direito a uma segunda chance, a uma atenção especial do professor, a uma oportunidade de participar de algum grupo de estudos da escola, para que possa superar sua dificuldade inicial e continuar aprendendo com sua turma. Por outro lado, se seu filho é bem avaliado pelos professores e tem boas notas, valorize isso, elogie-o, estimule-o a sempre querer aprender mais e incentive a conclusão da Educação básica na idade correta.
Demande Educação de qualidade para seu filho
"A escola só é boa quando o aluno aprende" - João Batista Araújo Oliveira. É muito importante que seu filho consiga matricular-se e que compareça às aulas todo dia. Mas não é suficiente. Ele vai à escola para estudar, para aprender, para ter uma boa Educação. Cobre das escolas comprometimento com a qualidade do ensino oferecido, as qualificações dos professores, a adequação dos recursos e instalações escolares. Faça sugestões. Critique. Elogie. Participe de movimentos em prol de um ensino público de qualidade.
Informe-se sobre a qualidade da escola
Além do Ideb, você pode conhecer a qualidade do ensino na escola do seu filho, por meio de seu desempenho na Prova Brasil Procure também obter informações relativas a os índices de repetência e de evasão da escola do seu filho. É importante que os pais, educadores e lideranças comunitárias, analisem esses dados e informações na busca por soluções. Reuniões de Conselhos Escolares, associações de pais e mestres e assembléias abertas são mecanismos que podem ser adotados para envolver todos nesse debate. Se as soluções não puderem ser encontradas na união da escola, das famílias e das diversas organizações da comunidade, o próximo passo é envolver nessa busca o poder público – começando pelas autoridades locais e, se for o caso, passando às esferas do Estado e da União, à medida que isso se faça realmente necessário.
Conheça o funcionamento da escola do seu filho
A família tem o direito de conhecer o que seu filho vai aprender a cada bimestre e ao longo do ano. A escola deve garantir que este documento – a proposta pedagógica ou equivalente – seja produzido levando em conta as diretrizes, os conteúdos e competências previstos pelo Programa de Ensino da Secretaria de Educação, a partir de um planejamento conjunto dos professores, com a devida divulgação de forma clara e simples. Procure conhecer também o Regimento Escolar. Assim, poderá ajudar a escola na aplicação dos recursos e incentivar seu filho a respeitar as normas escolares e a ter consideração e respeito por seus professores, colegas e outros membros da comunidade escolar. Exija que os professores passem dever de casa todos os dias e que eles sejam corrigidos e entenda como a escola avalia, aprova e reprova seus alunos.
Participe das reuniões da escola
A sua participação em todas as reuniões programadas pela escola é fundamental. Você não deve, porém, ficar calado. Dê sua opinião e incentive outros pais a também comparecer e participar nessas ocasiões. Não tenha vergonha nem medo de apresentar o seu ponto de vista à diretoria e aos professores da escola. No diálogo aparecem boas idéias e podem ser encontradas boas soluções para os problemas do dia-a-dia escolar.
Converse sempre com os professores e a direção
Os pais dos alunos podem ter seus próprios encontros, sem a presença de diretores, professores, técnicos e funcionários para discutir mais livremente seus problemas e as soluções propostas. Os órgãos que associam os pais fora da escola (federações de associações de pais, por exemplo) devem fazer um esforço concentrado no sentido de prepará-los para um relacionamento mais cidadão, maduro, autônomo e crítico em relação não apenas às escolas, mas também às autoridades educacionais.
Converse com os outros pais de alunos
Os pais dos alunos podem ter seus próprios encontros, sem a presença de diretores, professores, técnicos e funcionários para discutir mais livremente seus problemas e as soluções propostas. Os órgãos que associam os pais fora da escola (federações de associações de pais, por exemplo) devem fazer um esforço concentrado no sentido de prepará-los para um relacionamento mais cidadão, maduro, autônomo e crítico em relação não apenas às escolas, mas também às autoridades educacionais.
Integre escola e comunidade
Os pais precisam estar dispostos a atuar para introduzir e integrar a escola na vida da comunidade e a comunidade na vida da escola. Todos só têm a ganhar com isso. A escola deve ser reconhecida como um dos centros da vida na comunidade, e essa pode colaborar com as iniciativas e projetos da escola. Apóie a abertura da escola para a comunidade, organize e participe de atividades extra-escolares que acontecerem nas dependências da escola e incentive outros pais e amigos para participarem também.
Exija uma Educação pública de qualidade
A busca por uma Educação de qualidade não é só um direito, mas também um dever de todos nós. Vivemos em um País democrático, e o peso da opinião e da vontade públicas já não pode ser ignorado pelos tomadores de decisões. É pelo nosso voto que os políticos chegam ao poder e, por isso, somos também responsáveis pelas políticas públicas voltadas para a Educação.
Exija comprometimento dos gestores públicos
A Educação é um dos temas principais das políticas públicas e não pode ser instrumento de interesses partidários e eleitoreiros. Todos os cidadãos devem divulgar as boas propostas e, depois, acompanhar e cobrar o cumprimento das promessas feitas pelos políticos. Além de ajudar a Educação, o controle social é uma boa forma de exercer a cidadania e de contribuir para a democracia. Atente também para que haja continuidade das políticas públicas que estão dando certo. A Educação, por depender de processos de longo prazo, pode ser muito prejudicada pela interrupção constante de políticas e projetos.
Fiscalize os investimentos na Educação
Para que a Educação dê o salto de qualidade de que o Brasil precisa, é necessário que os recursos nela investidos sejam ampliados para, no mínimo, 5% do PIB. Reivindique essa ampliação, e cobre a aplicação eficiente e ética dos recursos destinados à Educação. Para saber como os recursos da Educação são investidos, clique aqui e consulte o Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Educação (Siope). Caso as informações de seu município ou estado não constem no Siope, entre em contato com os gestores educacionais responsáveis e cobre que eles tornem públicos esses dados.

Fonte: http://www.todospelaeducacao.org.br/FacaSuaParte.aspx?action=2&pID=2

Recomendações aos cidadãos

Conquistar Educação de qualidade passa pelo compromisso de todos e de cada um. Existem inúmeras maneiras de ajudar, veja como você pode fazer a sua parte.
O que uma boa Educação traz para as pessoas?
Pessoas com mais anos de estudo: - têm hábitos de vida que trazem mais saúde e melhor qualidade de vida - têm menos chance de entrar no mundo do crime e da violência - ficam menos tempo desempregadas - conseguem trocar de emprego com mais facilidade - têm salários mais altos Uma boa Educação é, sem dúvida, o melhor investimento que você pode fazer em você, e é a melhor herança que você pode deixar para os outros.
E o que é uma Educação de qualidade?
Para que se tenha Educação de qualidade, é preciso que se tenha: 1. Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola 2. Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos 3. Todo aluno com aprendizado adequado à sua série 4. Todo aluno com o Ensino Médio concluído até os 19 anos 5. Investimento em Educação ampliado e bem gerido Essas são as 5 Metas do Todos Pela Educação, que devem ser atingidas pelo Brasil até 2022.
Entenda a situação da Educação
O primeiro passo para melhorar a Educação é entender sua situação atual. Procure se informar sobre a qualidade do ensino no País, no seu estado, na sua cidade, nas escolas próximas. Em sites como o do Todos Pela Educação e o do Inep , você encontra informações importantes. Secretarias de Educação municipais e estaduais também têm esses dados, e é direito de todos conhecê-los. Além disso, todos podem procurar saber quais são as ações e medidas tomadas pela Secretaria de Educação para melhorar o desempenho das escolas que não tiveram bons resultados tanto no Ideb, como em avaliações educacionais como o Saeb , e a Prova Brasil. Busque entender quais são os problemas da Educação brasileira, suas causas e conseqüências. Informe-se, reflita, discuta. Quando você entende o problema, tem mais chances de fazer sua parte para resolvê-lo.
Ajude a divulgar a importância da Educação
Você está preocupado com segurança, emprego, saúde? Pois é, a Educação afeta todos estes temas. Com mais Educação, as pessoas têm mais oportunidade para conseguir melhores empregos, e aprendem a ter mais cuidado com a saúde. Uma boa base educacional é um dos requisitos fundamentais para uma vida digna, para reduzir a desigualdade social e diminuir a violência. Inclua a Educação nas suas conversas. Chame a atenção de seus amigos, colegas e parentes para a importância que tem a boa escola e a Educação de qualidade. Educação é tema transversal, abrangente e interessante, que pode unir todos em seus locais de trabalho, nos espaços de lazer e no entorno social. O tema Educação pode ainda ser incluído em treinamentos, reuniões, encontros dos grupos de que você já participa. Apóie e participe de debates, seminários e encontros que discutam as melhores estratégias e as boas práticas educacionais, levando em conta a realidade e os recursos locais. Ajude a conscientizar e motivar diferentes públicos para ações concretas.
Dê o exemplo
A Educação começa assim que a criança nasce. Os exemplos que ela recebe em casa, na rua, na comunidade ajudam a criar o interesse pelo saber e fazem com que ela valorize o aprendizado. Seja coerente: suas atitudes refletem as suas convicções. Como estudar é importante, comece você mesmo a estudar. Seja curioso, pergunte, questione, procure entender, informe-se. Este é o melhor exemplo que você pode dar para todos ao seu redor.
Participe, manifeste-se, seja ativo
Trabalhe ativamente pela melhoria da Educação, e demonstre publicamente seu apoio a iniciativas que possam melhorar a qualidade do ensino. Ao mesmo tempo, manifeste-se e mobilize as pessoas contra políticas públicas e outras ações que impactem negativamente na Educação. Uma forma de exercer sua cidadania em prol da Educação é se comunicando com nossos representantes no Congresso Nacional. Se quiser escrever para os Deputados Federais, clique aqui . Se quiser escrever para os Senadores, clique aqui .
Encaminhe crianças e jovens para a escola
Crianças ou jovens que estejam fora da escola podem ser encaminhados à escola mais próxima. Se for preciso, converse com alguém da família ou mesmo recorra às autoridades educacionais. Se o assunto não for resolvido na escola, deve-se procurar o Conselho Tutelar que, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), pode fazer as averiguações necessárias e emitir uma Requisição de Serviços à escola, em caso de recusa de matrícula. Se a Requisição de Serviços não for acatada, pode-se peticionar ao Ministério Público (Promotor de Justiça da Infância e da Juventude), que moverá uma Ação Civil Pública, visando assegurar a matrícula àquela criança ou jovem.
Reforce a auto-estima/incentive o sucesso escolar
Toda criança e jovem tem a capacidade de aprender muito e pela vida inteira – e o apoio e a confiança das pessoas ao seu redor são essenciais para seu sucesso escolar. Pequenas palavras e gestos podem ser decisivos na vida de uma criança e de um jovem. É preciso que as atitudes, as palavras que reforçam a auto-estima dos alunos e favoreçam o seu sucesso na sala de aula e na vida sejam repetidos ao máximo, e com toda sinceridade. Quando uma criança ou um jovem se sente reconhecido e valorizado por freqüentar a escola e obter bons resultados, encontra a motivação necessária para seguir em frente nas etapas de ensino e buscar o sucesso escolar.
Converse com os alunos próximos sobre a Educação
Você tem algum sobrinho, afilhado ou conhecido na escola? Pergunte sempre o que ele está aprendendo na escola, que novidades ele pode te ensinar, se ele gosta das aulas e dos professores, que atividades a escola oferece e se ele se diverte com os colegas. As conversas podem ser sobre vários assuntos, e não precisam ser só sobre notas e problemas! Ele gosta de ler? Pergunte de que tipo de leitura mais gosta, e tente sempre incentivá-lo presenteando-o com livros e revistas, ou levando-o a bibliotecas públicas. O que ele quer ser quando crescer? Lembre-o que os estudos podem fazer dele um profissional melhor, ter um salário mais alto, e fazer com que ele tenha menos chances de ficar desempregado.
Incentive a conclusão do ensino básico
Verifique se entre seus familiares, afilhados, vizinhos, colegas de trabalho, e conhecidos há pessoas não-alfabetizadas ou que não concluíram a Educação Básica. Incentive sua alfabetização, seu retorno à escola, a conclusão do Ensino Básico e o aprendizado constante.
Apóie a escola e seus funcionários
Todos nós devemos estar juntos, solidários e firmes, ao lado das equipes escolares, para colaborar para a superação de dificuldades e impasses. Converse com os professores, diretores e funcionários das escolas próximas, ofereça seu apoio e busque soluções junto com eles.
Ajude a melhorar a infra-estrutura das escolas
Procure conhecer as necessidades da escola pública de seu bairro ou comunidade. A melhor forma de saber o que a escola precisa e como você pode colaborar, é conversando com seu diretor. Observe se as escolas de seu bairro dispõem da infra-estrutura adequada para oferecer um ensino de qualidade. Boa iluminação, cadeiras e carteiras/mesinhas escolares, limpeza e materiais são alguns elementos importantes para isso. Não há um espaço adequado na escola para aulas de Educação física? Que tal sugerir uma cooperação com o clube próximo? Quem sabe daria para usar uma parte da praça da cidade, para as atividades? A escola do seu bairro ainda não tem biblioteca? Que tal começar a montar uma, com revistas para crianças e adultos, alguns livros infantis e outros que as pessoas queiram doar para este fim? Arrume os livros, de início, em caixas ou em algum armário e depois, vá melhorando! Você pode ser facilitador de parcerias e melhorar a qualidade do ensino público em sua cidade.
Ofereça sua ajuda para escolas e órgãos públicos
Todos, de todas as áreas de atuação e interesse, podem contribuir para a efetivação do direito a uma Educação pública de qualidade. Se você é bom em artes, línguas, limpeza, gestão de negócios, agricultura, matemática, medicina ou qualquer outro campo, pode se tornar um voluntário e compartilhar suas habilidades com as escolas e órgãos públicos mais próximos. Procure os responsáveis por essas instituições e ofereça sua ajuda. Este recado vai especialmente para os cidadãos e cidadãs aposentados ou idosos: contar casos, realizar brincadeiras coletivas e colaborativas, ensinar cantigas, ler histórias e acompanhar as crianças nas lições do dia-a-dia impacta nos resultados escolares! Contribua e estimule outras pessoas a colaborar para a melhoria da Educação.
Colabore para aproximar escola e comunidade
Apóie a abertura da escola para a comunidade: organize e participe de eventos de esportes, música, teatro, cinema nas dependências da escola, e incentive outras pessoas para participarem também. Quando a escola é pública, ela é de cada um de nós! Da comunidade, dos alunos, dos pais, dos professores, dos funcionários. É sua e minha também. Uma boa escola é aquela que tem apoio da comunidade. É aquela em que todos: - se preocupam com a qualidade do ensino e procuram saber o que podem fazer para ajudar a melhorar o aprendizado dos alunos - conversam com os professores e a diretora - ajudam a manter a escola organizada e bem cuidada Cuide da escola com o mesmo carinho que você cuida da sua casa e das coisas que você gosta. Afinal, ela é sua também!
Apóie e participe de projetos educacionais
Desenvolva e participe de projetos que ajudem sua cidade, seu estado e o País a alcançar as 5 Metas de permanência, sucesso e conclusão propostas pelo Todos Pela Educação. Caso você já participe de projetos de Educação, verifique se eles têm gerado efetivamente impacto positivo na qualidade educacional. Note que os projetos promovidos ou apoiados por você não devem desviar os alunos da escola e da aprendizagem. Os projetos devem se alinhar àqueles desenvolvidos pela escola. Por isso, procure: 1. Empenhar-se de todas as formas para seu trabalho ter um impacto positivo sobre o ano escolar de cada criança e jovem atendido 2. Interagir de forma solidária com a escola, buscando participar construtivamente de seu cotidiano 3. Conhecer pessoalmente os professores das crianças e jovens atendidos, mantendo com eles uma relação de apreço e solidariedade 4. Desenvolver atividades que contribuam para que as crianças e jovens atendidos dominem a leitura e a escrita, saibam calcular e resolver problemas; tenham condição de compreender e atuar em seu entorno social; tenham habilidade para analisar fatos e situações e tenham capacidade de acessar informações e de trabalhar em grupo 5. Oferecer reforço escolar de forma articulada com a direção da escola ou da Secretaria de Educação, como um apoio na busca do sucesso escolar 6. Incentivar as crianças e jovens para que tenham como objetivos principais, nessa fase da vida, o aprendizado e o sucesso na escola 7. Trabalhar com as famílias, para que os pais desenvolvam atitudes voltadas para o sucesso escolar de seus filhos 8. Contribuir para o acompanhamento sistemático da freqüência e do desempenho das crianças e jovens na escola 9. Trabalhar com a família e a escola para garantir o regresso daquelas crianças que estejam deixando de freqüentar a escola 10. Sensibilizar, conscientizar, motivar e incentivar lideranças comunitárias.
Quem são os responsáveis pela Educação no Brasil?
A Educação no Brasil é descentralizada, e a União, os estados e os municípios trabalham em regime de colaboração. No sistema educacional brasileiro, os papéis prioritários de cada ente federativo estão dispostos em artigo constitucional, ficando a Educação Infantil a cargo do município, o Ensino Médio sob responsabilidade dos estados, e o Ensino Fundamental sob responsabilidade de ambos. Já o governo central é responsável pelo sistema federal de ensino e assume função redistributiva e supletiva, prestando, quando necessário, assistência financeira e técnica às outras esferas de governo.
Exija comprometimento dos gestores públicos
Procure saber se os políticos de sua cidade, de seu estado e do Brasil estão trabalhando para a melhoria do ensino. Você pode pesquisar se eles apóiam e dão continuidade a projetos que têm dado bons resultados, se fazem algo para melhorar seus Idebs, se buscam melhorar a Educação e alcançar as 5 Metas do Todos Pela Educação. Algumas das cidades que têm a melhor Educação do país contam com alianças entre os governos, as escolas, as universidades, a comunidade e a iniciativa privada. Por isso, veja se o secretário municipal de Educação visita as escolas, se reúne com os diretores e tem projetos e parcerias que visam a melhoria da Educação no município. Na época das eleições, conheça as propostas dos candidatos para a Educação, e não vote em candidatos que não priorizem essa área. A Educação é um dos temas principais das políticas públicas e não pode ser instrumento de interesses partidários e eleitoreiros. Todos os cidadãos devem divulgar as boas propostas e, depois, acompanhar e cobrar o cumprimento das promessas feitas pelos políticos. Além de ajudar a Educação, o controle social é uma boa forma de exercer a cidadania e de contribuir para a democracia. Atente também para que haja continuidade das políticas públicas que estão dando certo. A Educação, por depender de processos de longo prazo, pode ser muito prejudicada pela interrupção constante de políticas e projetos.
Investimento em Educação: garantido e bem gerido?
Para que a Educação dê o salto de qualidade de que o Brasil precisa, é necessário que o investimento para a Educação Básica seja ampliado para, no mínimo, 5% do PIB. Você pode reivindicar essa ampliação, e cobrar a aplicação eficiente e ética dos recursos destinados à Educação. Para saber como os recursos da Educação são investidos, consulte o Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Educação (Siope). Caso as informações de seu município ou estado não estejam no Siope, entre em contato com o secretário de Educação da sua cidade e cobre que esses dados sejam tornados públicos. O dinheiro investido na Educação sai do bolso de cada um de nós. Por isso, precisamos verificar se ele está sendo bem usado.

Recomendações aos alunos

Você tem direito a uma Educação de qualidade e a sua participação é fundamental para melhorar o ensino em nosso País. Não abra mão de seu direito de aprender! Você também pode fazer a sua parte, saiba como.
O que uma boa Educação traz para você?
Quem tem mais anos de estudo: - tem hábitos de vida que trazem mais saúde e melhor qualidade de vida - tem menos chance de entrar no mundo do crime e da violência - fica menos tempo desempregadas - consegue trocar de emprego com mais facilidade - tem salários mais altos Viu só, como estudar muito e pela vida toda pode te ajudar a chegar mais perto do seu sonho?
E o que é uma Educação de qualidade?
Para que se tenha Educação de qualidade, é preciso que se tenha: 1. Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola 2. Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos 3. Todo aluno com aprendizado adequado à sua série 4. Todo aluno com o Ensino Médio concluído até os 19 anos 5. Investimento em Educação ampliado e bem gerido Essas são as 5 Metas do Todos Pela Educação, que devem ser atingidas pelo Brasil até 2022!
Acredite em você
Todo mundo tem a capacidade de aprender muito e pela vida inteira – mas é preciso se esforçar, procurar vencer seus limites e acreditar que você pode atingir os seus objetivos. Os bons alunos não são aqueles que nunca falharam, mas aqueles que continuaram tentando e conseguiram superar os tropeços. Aprender é uma maratona que dura a vida toda e, como toda corrida, começa com os primeiros passos.
Assuma a responsabilidade de ser estudante
Desenvolva o gosto pelo aprendizado, porque ninguém nasce aluno. Em geral a escola não ensina como estudar, mas você pode dividir com ela e com sua família o trabalho de construir sua própria Educação. Vá à escola todos os dias, preste atenção nas aulas, estude em casa, faça o dever, tire suas dúvidas com o professor, respeite os funcionários da escola e os colegas, e observe as regras da instituição. Ser bom aluno e gostar de aprender é bacana, pois isso lhe ajudará a ter um projeto de vida e a realizá-lo!
Não abra mão de seu direito de aprender
A escola tem o dever de ensinar. Para saber o que você vai aprender ao longo do ano, peça ao diretor conhecer a proposta pedagógica. Acompanhe seu cumprimento. Pergunte sempre que tiver dúvida. Busque ir além do conhecimento transmitido em sala de aula. Seja curioso. Freqüente bibliotecas e leia muito. Pesquise. Reflita. Questione. Discuta.
Leia muito
É muito importante que você saiba ler bem, pois isso é condição básica para que você possa aprender muito, sobre muitos assuntos, e pela vida toda. Procure livros, revistas, jornais sobre temas que te interessam: muitas bibliotecas públicas têm acervos ótimos, e bem diversificados. Conte também para as pessoas próximas sobre seus interesses: quem sabe elas não se lembram disso quando quiserem te dar um presente? Não adianta só adquirir as habilidades de leitura. Para ler bem, é preciso ler muito, ler sempre, sobre vários temas.
Faça o máximo para não repetir o ano
Em comparação com um aluno que freqüenta a série na idade certa, um aluno que repete o ano tem 11 vezes mais chances de abandonar a escola, pois a repetência desestimula o gosto pelos estudos. E, como você já sabe, quem estuda mais tem mais chances de ter salários mais altos, de conseguir um bom emprego com mais facilidade e de não se envolver com crimes. Se você tiver dificuldades na escola, sejam elas de notas, no relacionamento com os colegas ou com a equipe do colégio, converse com seus pais, com seus professores ou com o diretor. Se precisar de aula de reforço, isso não é razão para ficar chateado. Ao contrário: você será apoiado e respeitado no que você precisar. O quanto antes você conseguir identificar o problema e as pessoas que podem ajudar, mais chances terá de resolvê-lo!Converse sobre a escola com seus pais
Converse com sua família sobre o seu dia a dia na escola.
Não é preciso tratar apenas de notas, dificuldades e problemas: você pode contar para eles o que está aprendendo, ensinar-lhes coisas novas, dizer como são as aulas e os professores, se os seus colegas são legais, de quais matérias você mais gosta. Divida com eles suas experiências escolares, vitórias, dificuldades e expectativas. Assim, eles poderão te ajudar a alcançar os seus objetivos e superar as dificuldades que aparecerem.
Como está a sua saúde?
Você sabia que parte dos alunos que têm dificuldade de aprender tem algum problema de visão ou audição? Fique atento! Se você não enxerga bem a lousa, se as letras ficam embaralhadas no papel, é muito mais difícil prestar atenção e aprender a matéria. A mesma coisa acontece com a audição: quem não ouve direito perde a chance de entender o que o professor explica e acaba ficando desmotivado. Se você tem dores de cabeça freqüentes, dores de ouvido, se não consegue ler o nome do ônibus ou uma placa de trânsito, converse com seus pais e peça que eles te levem ao posto de saúde mais próximo. Problemas de visão e audição podem ser tratados e, com isso, você vai recuperar a alegria de aprender!
Ajude seus colegas e outros estudantes
Você é fera em matemática ou em qualquer outra matéria? Que tal ajudar seus colegas e outros alunos nos estudos, dividindo com eles aquilo que você sabe bem?
Converse com os professores, o diretor, além dos outros alunos, e procure saber como ajudar.
Demande Educação de qualidade para você
Quais são os pontos fortes da sua escola, e onde ela pode ser melhorada? Sua escola participa das avaliações do governo federal, como a Provinha Brasil, o Saeb , a Prova Brasil e o Enem ? Se participar, como está a Educação na escola de acordo com essas avaliações, e quais são seus pontos fortes e fracos? Como está o Ideb – o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – da escola, e o que a escola faz para melhorá-lo? Muitos dos seus colegas e os outros alunos repetem o ano ou saem da escola no meio do ano? Muitos professores faltam? A escola tem biblioteca e laboratório de informática? Essas são algumas perguntas importantes que você pode fazer para a diretora. Se ela não souber as respostas, ela vai entender que isso é importante para você e para outras pessoas, vai procurar as respostas. Assim, ela pode melhorar a escola – afinal, a diretora é a responsável pela sua administração e pela qualidade do ensino oferecido. Além disso, a ela vai saber que você está interessado e ao lado dela, na luta pela melhoria da Educação. É importante que os alunos, os pais, a comunidade escolar, a sociedade e os políticos locais pensem sobre esses dados e informações na busca por melhorias na Educação. Reuniões de conselhos escolares, associações de pais e mestres e assembléias abertas são mecanismos que podem ser adotados para envolver toda a comunidade nesse debate. A troca de idéias entre as escolas da comunidade também pode ajudar muito a encontrar soluções diferentes para os mesmos problemas. Por isso, incentive essa mobilização da sociedade!
Respeite a equipe de sua escola
Se você quer uma boa escola para estudar, é importante que todos se sintam bem em estar lá. Isso inclui os alunos, os professores e os funcionários. Conheça e respeite as normas, valorize e coopere com o trabalho de todos.
Apóie a integração entre escola e comunidade
Apóie a abertura da escola para a comunidade: organize e participe em eventos de esportes, música, teatro, cinema nas dependências da escola e em horários em que não haja aulas, e incentive outros pais e amigos para participarem também. Quando a escola é pública, ela é de cada um de nós! Dos alunos, de pais, dos professores, dos funcionários. É sua e minha também. Uma boa escola é aquela que tem apoio da comunidade. É aquela em que todos: - se preocupam com a qualidade do ensino e procuram saber o que podem fazer para ajudar a melhorar o aprendizado dos alunos - conversam com os professores e a diretora - ajudam a manter a escola organizada e bem cuidada Cuide da escola com o mesmo carinho que você cuida da sua casa e das coisas que você gosta. Afinal, ela é sua também!
Fique de olho nos políticos
Procure saber se os políticos de sua cidade, de seu estado e do Brasil estão trabalhando para a melhoria do ensino. Você pode pesquisar se eles apóiam e dão continuidade a projetos que têm dado bons resultados, se fazem algo para melhorar seus Idebs, se buscam melhorar a Educação e alcançar as 5 Metas do Todos Pela Educação. Já no dia-a-dia, veja se o prefeito, o secretário de Educação e os vereadores se envolvem com a Educação e buscam melhorá-la. Algumas das cidades que têm a melhor Educação do país contam com alianças entre os governos, as escolas, as universidades, a comunidade e a iniciativa privada – por isso, veja se o secretário de Educação visita as escolas, se reúne com os diretores e tem projetos e parcerias que visam a melhoria da Educação no município.
Na época de eleições...
Se você for maior de 16 anos, faça escolhas conscientes ao votar. Procure conhecer as propostas dos candidatos para a área da Educação e identificar se são interessantes, conseqüentes e positivas. Se tiver dificuldade na análise das propostas, indague se essas seriam capazes de ajudar o aprendizado e se colaboram para alcançar as 5 Metas propostas pelo Todos Pela Educação. Não vote em candidatos que não priorizem a Educação!
Participe, manifeste-se, seja ativo
Trabalhe ativamente pela melhoria da Educação, e demonstre publicamente seu apoio a iniciativas que possam melhorar a qualidade do ensino. Ao mesmo tempo, manifeste-se e mobilize as pessoas contra políticas públicas e outras ações que impactem negativamente na Educação. Uma forma de exercer sua cidadania em prol da Educação é se comunicando com nossos representantes no Congresso Nacional. Se quiser escrever para os Deputados Federais, clique aqui . Se quiser escrever para os Senadores, clique aqui .
Investimento em Educação: garantido e bem gerido?
Para que a Educação dê o salto de qualidade de que o Brasil precisa, é necessário que o investimento nessa área seja ampliado para, no mínimo, 5% do PIB. Reivindique essa ampliação, e cobre a aplicação eficiente e ética dos recursos destinados à Educação. Para saber como os recursos da Educação são investidos, consulte o Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Educação (Siope). Caso as informações de seu município não estejam no Siope, entre em contato com o secretário de Educação da sua cidade e cobre que esses dados sejam tornados públicos. O dinheiro investido na Educação sai do bolso de cada um de nós - por isso, precisamos verificar se ele está sendo bem usado!
Verifique a infra-estrutura da sua escola
A merenda da sua escola é fresquinha e feita com bons alimentos? Na sua escola há um bom sistema de transporte escolar? Os professores são pagos em dia? A escola está sempre limpa e bem-cuidada? Se você achar que o dinheiro não está sendo bem usado, converse com o diretor, mobilize seus colegas, vá até a Secretaria de Educação. Lá você pode conhecer as prioridades do governo local na área da Educação.
Apóie a construção de parcerias inter-setoriais
Incentive a secretaria de educação a construir parcerias entre as escolas da cidade, as universidades, outras secretarias governamentais, empresas e organizações da sociedade civil. Com essas parcerias, os bons projetos tendem a ter maior continuidade e todos só têm a ganhar.

Conheça o IDEB do Brasil, do Rio Grande do Sul, de Jaguarão e de nossa Escola

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

PDE ESCOLA


Nos dias 1º, 2 e 3 de dezembro, a professora Carmem Angela C. Araujo esteve em Pelotas participando como representante da Diretora Mara Regina Moreira Veiga da formação de diretores para o PDE-Escola que foi ministrada pela Consultora do MEC, Professora Marlinda Pacheco Andrade.
Do município de Jaguarão, estiveram também, participando do evento, as diretoras Adriana Dias Tuche, Rosane de Fátima Almeida da Rosa e Rosangela Jaspe Rodrigues.










Na foto, o Coordenador Regional de Educação, Prof. Adelino da Cunha Penedo, a Multiplicadora do NTE-Pelotas, Professora Maritânia Bassi Ferreira, o Coordenador do NTE, Professor Paulo Renato M. de Souza e a Consultora do MEC, Professora Marlinda Pacheco Andrade.